16.2.07

Revelações

A propósito das desmistificações do mundo da ovnilogia um texto muito bom publicado no Jornal do Infinito que teve um trabalhão enorme com as peças dedicadas a Jacques Vallée: Em uma trilogia: "Dimensions, Confrontations e Revelations" (sem tradução) o cientista e ufólogo Jacques Vallee relata (e adverte) à humanidade realidades que ela desconhece e que estão contidas da pesquisa ufológica. Jacques Vallee é astrofísico e Ph.D em "computer sciences" pela Northwestern University (1967). Vallee era associado com o Dr. J. Allen Hynek, já falecido, ilustre e famoso pesquisador científico, figura de proa na pesquisa ufológica internacional. Vallee foi o "MODELO" do cientista francês encarnado pelo ator François Truffaut no filme "Contatos Imediatos do Terceiro Grau" - produzido por Steven Spielberg. Jacques Vallee é francês. "Eu vi os óvnis. Não somente os vi, mas também os observei enquanto trabalhava com o teodolito durante o meu trabalho astronômico. Um certo número de colegas meus também os observou. Estas observações realizadas ao longo de quinze anos conduziram-nos a uma pesquisa profunda e ela nos revelou um grande número de casos observados por cientistas profissionais ao redor do mundo inteiro". - Jacques Vallee. Seriam estes cientistas seus companheiros os componentes do "Colegiado Invisível" (título cunhado pelo Dr. Allen Hynek) que se comunica secretamente, debate e estuda o fenômeno ufológico, como relatado por Vallee em um outro livro de sua autoria: "Le Collège Invisible"? Infelizmente, Jacques Vallee não é muito divulgado e até mesmo apreciado por um grande número de estudiosos brasileiros, país onde também realizou "pesquisas de campo" e se entrosou com os grupos sérios de pesquisa ufológica a exemplo da CICOANI - MG, fundada e encabeçada pelo psicólogo e professor universitário, Dr. Hulvio Brant Aleixo. Porque um grande número de ufólogos brasileiros despreza o cabedal de conhecimentos adquiridos por Jacques Vallee? Porque Jacques Vallee, apesar de acreditar no fenômeno UFO e de testemunhá-lo, pesquisá-lo séria, honesta e cientificamente, DESMISTIFICA TODOS OS SENSACIONALISMOS decorrentes dele: certas deduções, os monstros sagrados criados, certos casos ditos irrefutáveis, os cultos, a mitologia e o folclore, que envolvem este fenômeno autêntico, mas ainda inexplicado, incompreendido e tão antigo quanto a humanidade. Corajoso, Vallee coloca o dedo nas chagas abertas pelos exploradores e os charlatões do fenômeno que se aproveitam dos eventos que ele provoca. Vallee denuncia as experiências indignas que são feitas usando-se a exploração da credulidade do público, tratado como "cobaia de laboratório" para pesquisas inescrupulosas e inacreditáveis em experiências "ditas" científicas e, até mesmo, com vistas ao "controle" do PODER e do governo mundial por detrás das cortinas! "Como demonstrei nos livros "Dimensions e Confrontations" o fenômeno UFO existe, ele é genuíno e se constitui em um dos muitos mistérios que a natureza nos oferece. No meu ponto de vista ele representa uma oportunidade de praticar-se boa ciência e tornar-se cônscio de estágios de consciência desconhecidos, até agora, por nós" - Jacques Vallee. Vallee, no decorrer das suas pesquisas, sofreu decepções terríveis e quase "entregou os pontos" quando acusado de ter sido PAGO (pelo governo, presumivelmente? pergunta ele) para não revelar ao seu público uma "verdade terrível" que não podia ser veiculada! Esta "verdade", na verdade, constituía-se de uma mentira espalhada por fontes desconhecidas e dizia respeito a um certo "serviço de desinformação calculada" dos governos, órgãos de inteligência, de segurança nacional e dos celebérrimos "homens de negro". Se bem que este tipo de desinformação exista, a sua existência é calcada em outros segredos e outros tipos de desinformações, como verão no decorrer desta série, mas que não possuem o aval da parte dos ETS, dos seus veículos admiráveis e do verdadeiro fenômeno que provocam... e muitos menos o aval de Jacques Vallee que os desmistifica e denuncia! O Fenômeno Ufo Segundo Jacques Vallee Pergunta-se: de onde provêm os seres que nos visitam? Os testemunhos dos que se dizem contatados, em todos os graus estabelecidos por J. Allen Hynek, indicam procedências - de Vênus, Clarion, Hoova, Zeta Reticuli, UMMO, Plêiades, etc, etc!!! Foram criadas "organizações" e "comunidades" ao redor do mundo, providas por fontes misteriosas, os contados são hipnotizados e existem seminários e conferências a respeito dos eventos onde comparecem centenas de aficcionados para debaterem os fenômenos. Editam-se livros (muitos deles caríssimos), videotapes, jornais, revistas, dedicados ao misterioso fenômeno e a todos os seus heróis terrestres e alienígenas. Na verdade, toda esta atividade obscurece e complica o estudo científico da natureza real do fenômeno ufológico. Alem do mais, são fatores que concorrem para a confusão na mente dos verdadeiros contatados que esperam pela compreensão do que lhes ocorreu e pela mão amiga que lhes trará o apoio, a segurança e o equilíbrio. Se fossem apenas os lunáticos complicando os fatos eles não seriam tão difíceis de serem resolvidos: cada campo tem os seus fanáticos que explicam os eventos usando a medicina, a física e a astronomia mambembes (com a proliferação dos charlatões) e os aplausos dos basbaques de plantão. Mas, ainda há o pior: "Alguns dos avistamentos mais memoráveis são, na verdade, farsas as mais complexas cuidadosamente engendradas". - J. Vallee. E Valle conclui que - "As testemunhas tornam-se em meras vítimas e os instrumentos, até certo ponto, dos autores destas farsas". Quem são os farsantes e quais as suas metas? Infelizmente, as respostas para estas questões raiam às fantasias que a mente humana produz através de caminhos tortuosos e dos milhões que as agências militares e civis podem dispender conduzindo experiências psicológicas secretas - a exemplo dos projetos de "controle da mente" dos anos sessenta e setenta já demonstrados com abundância de detalhes. Jacques Vallee pesquisou estes caminhos tortuosos e se assombrou com as suas descobertas inusitadas envolvendo grupos privados. Vallee se desiludiu por várias vezes, constatando a compulsão insana de certas fontes em espalhar mentiras e elucubrações sinistras ao seu redor, sempre visando ampliar com elas cada vez mais, um maior contingente de público fielmente crente nas farsas que armaram. Agentes governamentais engendraram exercícios psicológicos cobertos por um véu de "inteligência classificada" - "alguns avistamentos são experiências de manipulação dos sistemas de crença do público" - Jacques Vallee. Incluem-se nesta premissa: casos de óvnis acidentados e de alienígenas queimados que jamais encarnaram realidades! Eles simplesmente foram cuidadosamente "plantados" nas mentes dos crédulos para o encobrimento de realidades escusas que os cientistas e o público não "necessitavam saber"! Criou-se uma MITOLOGIA e "fez-se um folclore" semelhante ao dos contatos angélicos e demoníacos das primeiras idades da história da humanidade onde os alienígenas roubaram os papéis desempenhados pelos anjos e demônios do passado. Hoje em dia este folclore foi mais além, ele agora fala de acidentes com UFOS de onde foram retirados os corpos de alienígenas submetidos, depois, a autópsias. Jacques Vallee resume a sua pesquisa dos "casos" que ouviu de gente altamente gabaritada: agentes da Força Aérea Americana, um ex-piloto da Cia, um oficial da Inteligência Naval e outros vultos mais, que afirmaram categoricamente o seu próprio e espantoso testemunho em eventos extraordinários (ou trabalhados secretamente pelo governo americano), envolvendo alienígenas com os quais havia sido feito um perigoso e infame contrato. Este tornou-se no "LADO NEGRO" da ufologia! Jacques Vallee arrazoa que ao contrário do que muitos poderiam lhe sugerir: - Deixe que os basbaques acreditem no que quiserem acreditar, até conhecerem o sabor amargo da decepção - ele forma com os que aconselham: - "Temos que eliminar estes rumores espúrios, se desejamos identificar o fenômeno UFO real para, talvez, um dia, nos encontrarmos com os alienígenas genuínos". - Jacques Vallee. A Convite de J. Allen Hynek Em maio de 1974 Jacques Vallee, a convite de J. Allen Hynek foi a Los Angeles onde estava sendo rodado um documentário no qual Hynek colaborava, produzido por Alan Sandler e Robert Emenegger. Este documentário era parte de uma série patrocinada pelo Departamento de Defesa visando melhorar a sua imagem. A idéia central baseava-se no fenômeno UFO, fascinador da opinião pública e de como a Força Aérea esforçava-se na sua abertura em relação a este fenômeno excitante e controverso, disposta a facilitar todo o acesso ao seu acervo de conhecimentos a respeito desta área. Coisas estranhas começaram a suceder... A Nasa esquivou-se de colaborar com o projeto porque dizia não possuir material relevante. Entretanto, o seu contato em Washington, acionado por Sandler afogou os produtores com um farto material composto por uma lista de avistamentos misteriosos, encontros, "frame numbers" de filmes feitos por astronautas, etc. Sandler, então, forçou a Nasa a colaborar, embora a autenticidade do material já recebido ser questionável. Outro fato que causou estranheza foi produzido pela "Holloman Air Force Base" um filme - Contato com Alienígenas - prefaciado por uma observação enigmática. - "Um contato real que poderá ocorrer no futuro ou que talvez já possa ter acontecido, entre alienígenas e militares americanos". - Onde? Perguntou-se. Em uma grande base, algures, no deserto, em um local parecido com o da "Holloman Air Force Base" no Novo México. Emenegger recebeu um reforço desta informação a respeito deste filme e desta notícia estranha, proveniente de um tal Paul Shartle, funcionário graduado da "Norton Air Force Base": ele vira o filme do contato entre os alienígenas e os militares, filmado cerca de 1970. Estes fatos e o material do filme foram descritos por Robert Emenegger no seu livro - UFOS: Passado, Presente e Futuro (Ballantine 1974/New York). Apesar dos testemunhos de Sandler e Emenegger de que este filme existe e que pode ser visto, há a questão de que o coronel Coleman jamais respondeu a uma indagação óbvia que lhe foi apresentada: se existe este material, ele seria um filme de treinamento ou uma simulação feita para avaliação psicológica, ou é mesmo autêntico? Jacques Vallee foi chamado a colaborar com a parte histórica deste documentário através dos textos de dois dos seus livros: "Anatomy of a Phenomenon" e "Passport to Magonia", entretanto, a sua colaboração e autoridade no projeto se restringia somente a este ponto: os seus textos. Hynek e outros mais que participavam do documentário com maiores penetrações na produção do mesmo, estavam pasmos com a forma pela qual Sandler e a sua equipe haviam conseguido a ordem de filmarem "tomadas" em Holloman. A um primeiro pedido de licença, a base respondeu com displicência. Bastou que Sandler contatasse Washington para que tudo se resolvesse em um átimo. Entretanto, o material que Sandler requisitou jamais lhe chegou às mãos e ele teve que improvisar mostrando cenas sobre a base de Holloman, desenhos de alienígenas, e outras perfumarias. Em 1988 Paul Shartle declarou novamente, Ter visto o filme verdadeiro do encontro entre alienígenas e militares, mas os seus superiores o avisaram de que o filme era nada mais nada menos do que "material teatral" comprado pela Força Aérea. A Norton, entretanto, não possuía a referência deste filme nos seus arquivos (Norton Air Force onde Shartle trabalhava). Hynek, Emenegger e Sandler estavam irritados com o estado das coisas: ofereciam-lhes declarações e materiais sensacionais e, na última hora, tudo lhes era negado pela Força Aérea, o que os três julgavam ser, claramente, a mais deslavada das formas de manipulação. Por exemplo: o tal encontro já havia ocorrido ou ele ocorreria no futuro? E o que dizer de um filme onde este encontro, supostamente, já fora registrado? Jacques Vallee esclarece o ponto de que este não era um caso onde um grupo desejava entregar o material e o outro grupo negava a permissão. Ele diz que, posteriormente, tomou conhecimento de que este material (o filme) existe, mas de que não está classificado em qualquer local. Vallee arrazoa: "Ao que parece, há o temor de severas sanções se este material for julgado como sendo apenas um simples "material teatral". Claramente - diz ele - este é um caso onde a Força Aérea está fazendo um jogo". A Seligman Productions lançou, em 1989, um documentário intitulado COVER-UP. Neste documentário a denúncia de que o governo esconde a infiltração extraterrestre na terra e guarda secretamente um disco que caiu e os corpos dos pilotos alienígenas. Estas alegações já haviam sido explanadas por grupos de ocultistas que se transformaram, rapidamente, em um subcultura muito influente que edita as suas revistas, organiza congressos e peregrinações. Esta subcultura explora as experiências, de acordo com as fantasias que povoam as suas próprias mentes. A humanidade está decepcionada com as suas realizações, seus governos (ou desgovernos) e se apega, sem raciocinar, as mínimas esperanças por dias melhores, pela paz, pela prosperidade, fraternidade, enfim, tudo o que está faltando para que ela possa se sentir em segurança e tranqüilidade. O certo é que podemos estar assistindo ao nascimento de uma nova religião promulgada e pregada por esta subcultura que vem se ampliando sob a égide do fenômeno ufológico. De uma certa forma ela está preenchendo as necessidades espirituais e sociais de milhões de pessoas. Comenta J. Vallee. "A exemplo de qualquer movimento emergente, este também tem os seus templos. Os exemplos incluem a "Kirtland Air Force Base", com as suas criptas e mistérios e "Dulce", Novo México, com os seus grandes templos e energia espiritual que pode ser direcionada pelos crentes. Porque este é um movimento tecnocrata, as suas capitais não são São Pedro, Meca, Jerusalém ou Salt Lake City. Seus nomes são códigos, palavras de poder: Hangar 18, Majestic 12 e Área 51". - Jacques Vallee.

3 comentários:

journeyman disse...

parabens pelo blog e pelos temas aborados
gostaria de trocar endereços e temas contigo é possivel?
abraço
tenho muito material que desejo compartilhar

abraço

pier

Britan disse...

Sim, claro, podes usar o mail.

Latorre disse...

Fique registrado publicamente que sou teu fã. Adorei o texto. Publiquei (sem autorização, claro) no Vigília.

Fico no aguardo de conhecer algo concreto sobre o Valeé. Trabalhos dele mesmo, gostaria muito de ler um.

Abraço sincero do te irmão de além-mar.